sábado, 6 de junho de 2015

Operação resgata mais de 2 mil imigrantes no Mar Mediterrâneo

Resgate envolveu barcos das Marinhas do Reino Unido, Alemanha e Itália.
Pessoas foram encontradas próximas à costa da Líbia.


Mais de 2 mil migrantes foram resgatados de cinco barcos de madeira no Mar Mediterrâneo neste sábado (6), enquanto sete outros navios foram avistados, afirmaram a guarda costeira da Itália e a fundação Migrant Offshore Aid Station (MOAS). Em andamento, a operação pode localizar outras pessoas à deriva.
"A MOAS participou do resgate de cerca de 2 mil pessoas, junto com navios da Itália, Reino Unido e Alemanha”, afirmou o grupo em uma mensagem publicada no Twitter. Os migrantes foram encontrados em barcos de pesca feitos de madeira no Mediterrâneo, próximos à costa da Líbia.
“Nós temos muitos ativos trabalhando”, afirmou um porta-voz da guarda costeira italiana à agência Reuters.
A Marinha da Alemanha despachou dois navios para auxiliar na missão, segundo um porta-voz alemão para as operações citado pela rede “CNN”. Um deles resgatou 301 migrantes. Já a Marinha do Reino Unido enviou o navio HMS Bulwark, afirmou o Ministério da Defesa britânico.
A proporção da embarcação dá o tom do tamanho da operação, já que o HMS possui dois helicópteros a bordo. O navio foi enviado para um local no Mediterrâneo onde acreditava-se haver 17 botes.
A MOAS, uma organização que opera em conjunto com os Médicos Sem Fronteira, informou que seu navio resgatou 372 indivíduos vindos da Eritreia. Já a Itália comunicou que seus navios tentavam remover 560 pessoas de botes.
Os conflitos crescentes na Líbia, ponto de onde partem as principais rotas para a Europa, abrem caminho para contrabandistas transportarem pessoas por quantias equivalentes a 80 mil euros, segundo uma investigação em curso na Justiça italiana apontada pela Reuters.
Durante os cinco meses deste ano, houve 46,5 mil desembarques na Itália, um aumento de 12% sobre o mesmo período de 2014, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). O governo da Itália projeta que serão 200 mil em 2015, acima dos 170 mil registrados no ano passado.
tópicos:

Sem comentários:

Publicar um comentário