sexta-feira, 31 de julho de 2015

Saiba o que se falou sobre a suposta ameaça a advogada

Saiba o que se falou sobre a suposta ameaça a advogada
Beatriz Catta Preta disse que abandonou carreira porque foi ameaçada.
Segundo ela, ameaça foi de membros da CPI da Petrobras; eles negam.
Do G1, em Brasília


Veja abaixo o que políticos e representantes de entidades falaram sobre a denúncia da advogada Beatriz Catta Preta que disse na edição desta quinta-feira (30) do Jornal Nacional ter sido ameaçada e intimidada por integrantes da CPI da Petrobras.

Beatriz Catta Preta, advogada
“[As intimidações] vêm dos integrantes da CPI, daqueles que votaram a favor da minha convocação”
Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deputado e presidente da Câmara
“Eu não comento sobre isso. Eu não comento isso. Então, pergunte à CPI. Sobre isso eu não falo"

Hugo Motta (PMDB-PB), deputado e presidente da CPI da Petrobras
“O que é mais estranho é uma advogada criminalista alegar que está sendo ameaçada e não trazer nenhum fato concreto. E vir a um jornal de rede nacional querer usar a vitimização para esconder, talvez, alguns atos ilícios que ela tenha cometido no âmbito do processo da Lava Jato.”
João Ricardo Costa, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros
"São lamentáveis [as supostas ameaças de membros da CPI à advogada]"
Luiz Sérgio (PT-RJ), deputado e relator da CPI da Petrobras
“É grave o que ela disse. No entanto, não pode ficar na generalização. A declaração dela reforça a necessidade da ida dela à CPI, porque ela terá a oportunidade de detalhar essa pressão que recebeu, quem fez, onde foi, como.”

José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça
“Acho que são declarações que se colocam de maneira grave.”
Marcus Vinicius Furtado Coêlho, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)
“É lamentável que um colega de profissão deixe suas atividades sob essa alegação, sob esse tipo de situação."

Sem comentários:

Publicar um comentário