domingo, 16 de agosto de 2015

Manifestantes protestam na Zona Sul do Recife contra o governo Dilma

Manifestantes protestam na Zona Sul do Recife contra o governo Dilma
Concentração começou às 9h e passeata terminou por volta das 12h30.
Grande maioria dos manifestantes vestia verde e amarelo.
Do G1 PE






 Concentração de manifestantes na Avenida Boa Viagem, no Recife (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Concentração de manifestantes na Avenida Boa Viagem, no Recife (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Manifestantes se reuniram na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, neste domingo (16), para o protesto contra a corrupção e o governo da presidente Dilma Rousseff. As pessoas começaram a chegar por volta das 9h para o evento, organizado pelos movimentos Brasil Livre e Vem Pra Rua. O protesto durou até as 12h30, quando a marcha chegou ao Segundo Jardim. Pouco depois disso, os trios elétricos foram desligados e os manifestantes começaram a dispersar.
Cantora Nena Queiroga cantou o hino nacional em cima de um trio elétrico, para dar início à passeata (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Cantora Nena Queiroga cantou o hino nacional em
cima de um trio elétrico, para dar início à
passeata (Foto: Katherine Coutinho / G1)
A concentração aconteceu na frente da Padaria Boa Viagem, esquina com a Rua Padre Bernardino Pessoa. A cantora Nena Queiroga cantou o hino nacional em cima de um trio elétrico, para dar início à marcha. "A maior arma é a nossa voz. A gente tem voz e vez quando sai de casa como hoje", disse.
A organização do Vem Pra Rua estima que 50 mil acompanharam a passeata. O Comando Geral da  Polícia Militar de Pernambuco decidiu não divulgar cálculos sobre números de participantes do ato público deste domingo. De acordo com a assessoria da corporação, a "medida visa garantir que não haja divergências de números entre os diversos órgãos envolvidos no evento, esclarecendo, ainda, que tal informação não compete à Polícia Militar, que trabalha, apenas, com números estimados".
Nos cartazes, eram vistos pedidos para a saída de Dilma Rousseff da presidência, a inscrição'#Lulanuncamais' e palavras de ordem. A grande maioria das pessoas vestiu as cores verde e amarela. Apitos, cornetas e narizes de palhaço estiveram entre os itens usados pelos manifestantes. Até mesmo uma orquestra de frevo participou do protesto, com um boneco gigante em referência ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato.
No Recife, boneco gigante faz referência ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato (Foto: Katherine Coutinho / G1)
No Recife, boneco gigante faz referência ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato
(Foto: Katherine Coutinho / G1)
Defendendo também o liberalismo, o Movimento Brasil Livre (MBL) pede menos intervenção do governo federal nas decisões. "Não pedimos a simples saída da presidente Dilma, mas sim a abertura do processo de impeachment. Queremos menos interferência de Brasília, de decisões centralizadoras. Os partidos políticos tem roubado o protagonismo do povo", explica Pedro Jacob, um dos coordenadores do MBL no Recife.


MANIFESTAÇÕES: 16/08
Atos são contra o governo Dilma
tempo real
mapa com estimativas
como foram os atos
fotos: nacional
 O Vem Pra Rua passou um abaixo-assinado para apoiar as dez medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público Federal no Paraná. O grupo vai encaminhar as assinaturas para Curitiba. "Nós pedimos o 'fora Dilma' dentro da lei. O Vem Pra Rua defende três bandeiras: a democracia, a ética na política e o Estado efetivo e desinchado. Não adianta apenas mudar o governo, precisa lidar com a corrupção", aponta o advogado Gustavo Gesteira, porta-voz do movimento no estado.
Os Maçons de Pernambuco também se uniram ao protesto e afirmaram estar em defesa da República. "Hoje protestamos contra a corrupção e a criminalidade que se instalou na nossa pátria. A República é filha de Pernambuco e os maçons lutaram pela República", explica o representante do grupo, Adeíldo Penha.
Funcionários dos Correios vestiram camisas amarelas com 'Postalis' estampado, em referência ao fundo de pensão da estatal (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Funcionários dos Correios vestiram camisas amarelas com 'Postalis' estampado, em referência ao fundo de pensão da estatal (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Algumas pessoas sem ligação com qualquer um dos movimentos também fizeram questão de protestar neste domingo. Funcionários dos Correios vestiram camisas amarelas com 'Postalis' estampado, em referência ao fundo de pensão da estatal. "Não interessa se houve roubo antes no Brasil, isso não justifica continuar roubando. Tem que mudar essa situação, tem que ter consequências. Desviar fundo de pensão é desviar nossos salários", afirma a economista Cláudia Coutinho, que trabalha nos Correios.
A administradora Marcela Tavares levou a filha, Marina, de 1 ano e três meses, para o protesto na Avenida Boa Viagem, no Recife (Foto: Katherine Coutinho / G1)
A administradora Marcela Tavares levou a filha, Marina, de 1 ano e três meses, para o protesto na Avenida Boa Viagem, no Recife (Foto: Katherine Coutinho / G1)
A administradora Marcela Tavares levou a filha, Marina, de 1 ano e três meses, com uma pequena panela. A ideia é estimular a menina a lutar pelos seus direitos. "Ela é novinha, mas vai aprendendo. Quando o pessoal bate panela, levo ela para a janela e mostro. Desde o primeiro ela já bate a panelinha", explica.
Líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, caminha entre manifestantes, no Recife (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, caminha entre manifestantes, no Recife
(Foto: Katherine Coutinho / G1)
Deputados federais pernambucanos da oposição se uniram ao protesto deste domingo. "Viemos dar apoio político ao ato de hoje. Nossa posição é de buscar construir uma saída para a crise", explica Betinho Gomes (PSDB-PE). O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, também esteve na manifestação. "Vim protestar contra a mentira que levou a presidente Dilma a ser reeleita. Dar o grito de protesto contra a situação que o Brasil está vivendo", disse Mendonça.
No começo da tarde, um segundo protesto foi realizado, com concentração no mesmo local. Organizado pelos movimentos Estado de Direito e Direita Pernambuco, a manifestação pediu o impeachment e a intervenção militar no país.
Segurança
A Polícia Militar de Pernambuco reforçou a segurança do protesto com 149 policiais, tanto ao longo da citada avenida como nos entornos e nas paradas de ônibus. O policiamento foi feito por agentes a pé, em viaturas e em motos, além do serviço de inteligência. Não houve registro de ocorrências.

Sem comentários:

Publicar um comentário