quinta-feira, 8 de outubro de 2015

08/10 As bem-aventuranças Felizes são os pobres com espírito E aqueles que compartem com os pobres Os riscos e a esperança, Porque eles têm o reino em suas vidas! Contrariamente a toda propaganda De produtos que dão felicidade,

08/10 As bem-aventuranças Felizes são os pobres com espírito  E aqueles que compartem com os pobres  Os riscos e a esperança,  Porque eles têm o reino em suas vidas! Contrariamente a toda propaganda  De produtos que dão felicidade,   Felizes os aflitos,  Porque eles sentirão em suas cruzes  A ternura de Deus que é pai e mãe!  Felizes os que sabem vencer-se,  Na conquista da mansidão diária:  A terra será deles!   Felizes são aqueles que são justos  E buscam a justiça  E a defendem e a forjam  E sentem fome e sede  Da justiça do reino:  O reino saciará sua utopia!   Felizes os que têm misericórdia  E não deixam passar um sofrimento  Sem achegar-se dele  E nele derramar-se, no óleo e no vinho: Eles encontrarão misericórdia!   Felizes os que trazem  Um coração sincero  E limpo seu olhar:  Mesmo na noite escura  Eles verão a Deus!  Filhos do Deus da paz,  Irmãos daquele que é a nossa paz,   Felizes os que lutam em paz e pela paz,  Os construtores  Da estranha paz do reino:  Deles é o shalom, o axé, a paz!   Felizes sois todos os perseguidos Por causa da justiça,  Nas lutas pela terra do campo e da cidade, Nas lutas do trabalho,  Nas lutas pela vida.   Felizes vós, profetas,  Malditos do sistema,  Pichados pela ordem,  Jogados no escanteio do templo e do pretório   Felizes, alegrai-vos, o reino já é vosso! Felizes são os pobres,  Os meus pobres,  Os herdeiros do reino!    Pedro Casaldáliga08/10 As bem-aventuranças
Felizes são os pobres com espírito
E aqueles que compartem com os pobres
Os riscos e a esperança,
Porque eles têm o reino em suas vidas! Contrariamente a toda propaganda
De produtos que dão felicidade,

Felizes os aflitos,
Porque eles sentirão em suas cruzes
A ternura de Deus que é pai e mãe!
Felizes os que sabem vencer-se,
Na conquista da mansidão diária:
A terra será deles!

Felizes são aqueles que são justos
E buscam a justiça
E a defendem e a forjam
E sentem fome e sede
Da justiça do reino:
O reino saciará sua utopia!

Felizes os que têm misericórdia
E não deixam passar um sofrimento
Sem achegar-se dele
E nele derramar-se, no óleo e no vinho: Eles encontrarão misericórdia!

Felizes os que trazem
Um coração sincero
E limpo seu olhar:
Mesmo na noite escura
Eles verão a Deus!
Filhos do Deus da paz,
Irmãos daquele que é a nossa paz,

Felizes os que lutam em paz e pela paz,
Os construtores
Da estranha paz do reino:
Deles é o shalom, o axé, a paz!

Felizes sois todos os perseguidos
Por causa da justiça,
Nas lutas pela terra do campo e da cidade, Nas lutas do trabalho,
Nas lutas pela vida.

Felizes vós, profetas,
Malditos do sistema,
Pichados pela ordem,
Jogados no escanteio do templo e do pretório

Felizes, alegrai-vos, o reino já é vosso! Felizes são os pobres,
Os meus pobres,
Os herdeiros do reino!


Pedro Casaldáliga

Sem comentários:

Publicar um comentário