terça-feira, 17 de novembro de 2015

Amistoso entre Alemanha e Holanda é cancelado por ameaça de bomba Jogo aconteceria em Hanover; polícia fala em 'informação concreta'. Chanceler da Alemanha assistiria à partida no local.

Amistoso entre Alemanha e Holanda é cancelado por ameaça de bomba
Jogo aconteceria em Hanover; polícia fala em 'informação concreta'.
Chanceler da Alemanha assistiria à partida no local.



Quatro dias após os atentados em Paris, o amistoso entre as seleções da Alemanha e da Holanda em Hanover foi cancelado nesta terça-feira por ameaça de bomba.
O chefe da polícia de Hanover, Volker Kluwe, disse que o jogo foi cancelado porque havia uma “informação concreta” sobre ameaça de bomba. Os torcedores que foram ao estádio e se preparavam para homenagear as vítimas dos atentados de sexta-feira (13) puderam ser vistos deixando calmamente o local do jogo.
Posteriormente, a agência Reuters informou que, segundo um oficial alemão, nenhum dispositivo explosaivo foi encontrado.
Mais cedo, a polícia interditou brevemente uma área exterior ao estádio em função da descoberta de um pacote suspeito, mas rapidamente decretou o fim do alerta.
Prevista para as 18h45, a partida amistosa tomou uma dimensão essencialmente simbólica, depois dos atentados que deixaram 129 vítimas em Paris e nas proximidades do Stade de France, onde jogavam França e Alemanha, na sexta-feira à noite.
Os jogadores alemães, muito cansados, tanto física como mentalmente, após passarem a noite de sexta-feira para sábado no vestiário do estádio, acabaram optando por disputar a partida amistosa contra a Holanda.
O técnico da seleção alemã, Joachim Löw, se recusou na segunda-feira a responder a qualquer pergunta esportiva em coletiva de imprensa, afirmando que a partida seria "um símbolo de liberdade, de democracia e de solidariedade com nossos amigos franceses".
A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, assim como diversos membros do governo, anunciaram que estariam presentes em Hanover. "Nossa mensagem é clara: não deixaremos que nos roubem de nossa maneira de viver. Não podemos dar aos terroristas a vitória que seria o cancelamento da partida", declarou na segunda-feira o ministro de Justiça alemão, Heiko Maas.

Sem comentários:

Publicar um comentário