França pede a Twitter e Facebook que censurem foto do Bataclan Imagem mostra vários corpos após ataque que matou ao menos 80. Google também tenta evitar que Maps vincule casa de shows ao EI.

França pede a Twitter e Facebook que censurem foto do Bataclan
Imagem mostra vários corpos após ataque que matou ao menos 80.
Google também tenta evitar que Maps vincule casa de shows ao EI.



O Ministério do Interior da França pediu a Twitter e Facebook, mediante um requerimento judicial, que retirem uma foto feita na casa de shows Bataclan em que aparecem vários corpos após o atentado de sexta-feira (13) em Paris, informaram nesta quarta-feira (18) diferentes fontes.
Ambas as redes, que receberam este requerimento na segunda (16), aceitaram o pedido, mas somente no que diz respeito ao território francês.
Na segunda-feira (16), o Google também tentava mudar o fato de o Maps vincular o Bataclan ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI).
A petição, divulgada no site do organismo de investigação americano Lumen, invoca um "grave atentado à dignidade humana", assim como "ao sigilo da investigação".
"Recebemos esta petição na segunda-feira. Fizemos com que a foto postada por um de nossos usuários desaparecesse", informou um porta-voz do Facebook, que nunca intervém de maneira prévia a respeito dos conteúdos publicados por seus usuários.
"A divulgação realizada por nossa comunidade é o meio mais rápido de localizar um conteúdo", explicou o porta-voz.
Após o pedido, o Twitter aplicou de maneira sistemática um filtro cinza ao tuíte contendo a foto em questão. Neste caso, também se aplica para os internautas residentes na França, confirmou uma fonte próxima a este caso.

Comentários