quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Funcionário de prefeitura e dois policiais são suspeitos de agiotagem

Sete pessoas estão sendo investigadas pela Polícia Civil, entre elas um funcionário da prefeitura de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, um agente da Polícia Civil e um sargento reformado, por suspeita de envolvimento com os crimes de usura e comércio ilegal de armas de fogo. Os suspeitos são investigados por agiotagem nos municípios de Recife, Paulista e Itamaracá. Três pessoas foram detidas, mas liberadas após pagar fiança.

De acordo com o delegado Adyr Almeida, cada suspeito atuava de forma isolada, mas todos exploravam quem precisava de dinheiro. Eram cobrados juros altos de até 30%. Eles ainda obrigavam os clientes a entregar o cartão do Bolsa Família e cartões de créditos com a senha. Empresários também teriam trocado cheques com os homens.
Funcionário de prefeitura e dois policiais são suspeitos de agiotagem (Foto: Ronan Tardin/ TV Globo)
Ainda foram apreendidos dois revólveres, espingarda calibre 12 e municções  (Foto: Ronan Tardin/ TV Globo)
A investigação, deflagrada na quarta-feira (11), faz parte da Operação “Sem Juros”, da Polícia Civil de Pernambuco. Ela cumpriu sete mandados de busca domiciliar. Durante a ação, ainda foram apreendidos quase R$ 150 mil em dinheiro e R$ 900 mil em cheques, além de dois revólveres, uma espingarda calibre 12 e munições.

Mesmo tendo movimentado mais de R$ 1 milhão, ninguém foi preso pelo crime de agiotagem. “Colhemos esse material para entrar contra eles alegando o crime de usura”, adiantou o delegado.
tópicos:
Igarassu, Itamaracá, Paulista, Recife

Sem comentários:

Publicar um comentário