sexta-feira, 4 de março de 2016

NOVO BARCO DE CARGA CHEGA A NORONHA AINDA NA PROXIMA SEMANA

O barco deve chegar à ilha nos próximos dias (Foto: Divulgação)
O abastecimento de Fernando de Noronha ainda não está totalmente regularizado e os representantes do mercado local atribuem a falta de produtos ao naufrágio da embarcação Além Mar, do grupo Sultanum, no dia 4 de fevereiro. O empresário José Maria Sultanum anunciou que adquiriu o  barco Alro, na cidade de Belém, no Pará, que chega à Natal neste final de semana e vai iniciar o serviço que carga nos próximos dias. “A embarcação está chegando à  capital potiguar e recebe pintura, vamos instalar uma nova câmara frigorífica e mudaremos a categoria. O Alro passa de barco de serviço para barco de cabotagem. Na próxima semana partimos com mercadoria para a ilha”, previu  José Maria.
Segundo Sultanum a embarcação tem condições para transportar 70 toneladas e conta com volumetria maior que o Além Mar. Este é um barco mais  largo , pode transportar até quatro caminhonetes  simultaneamente. O empresário explicou que o Alro tem menos 20 centímetros de  calado (fundo), por isso pode se aproximar mais do Porto de Santo Antônio. “Ele vai encontrar só de popa (parte traseira) , vamos reduzir o tempo de descarrego em três horas. Nós vamos diminuir também o tempo de viagem , a expectativa é fazer Natal–Noronha em 20 horas. Os motores são mais potentes, todos os equipamentos são em dobro” informou o empresário.
Barco Alro 2
A emcarcação é mais larga (Foto: Divulgação)
Questionado quanto foi investido na embarcação e se este investimento vai alterar o valor do frete José Maria Sultanum respondeu. “Foi um bocado de dinheiro, mas os clientes não se preocupem que a tabela não será alterada. Podemos operar mais vezes, vamos trabalhar para isso. O serviço  é fundamental para ilha, apesar de algumas contestações. Sem o Além Mar todos os supermercados ficaram desabastecidos , inclusive o meu. Mesmo com os problemas nós trouxemos mercadorias, fretamos barcos e aviões, nos esforçamos muito”, contou.
“Foi muito difícil, muito honroso, muito desgastante emocionalmente, mas  temos foco. Temos uma equipe com pessoas envolvidas na operação, gente responsável que está dando o sangue. Não é só pelo dinheiro, mas é pela necessidade que a ilha tem de abastecimento. Deixo claro que não vamos perder o foco, os moradores podem ficar tranquilos porque vamos seguir com o serviço”, finalizou Sultanum.

Sem comentários:

Publicar um comentário