segunda-feira, 18 de abril de 2016

Em 60 horas, Recife teve chuva para quase um mês inteiro

foram 280 milímetros e a média histórica de abril é de 320 milímetros.
Prefeitura da capital realizou, em média, quase nove vistorias por hora.








A chuva registrada em 60 horas no fim de semana, no Grande Recife, provocou inundações,  deslizamentos de barreiras e até uma morte, a primeira deste ano, na capital. Também deixou um rastro de números impressionantes. Foram 280 milímetros de precipitações, o equivalente a quase todo o mês de abril, que tem média histórica de 320 milímetros.
A Defesa Civil realizou, nesse período,  534 vistorias, uma média de quase nove ações por hora. Recebeu  chamados para 403 visitas de monitoramento das áreas de risco. Em 36 horas, colocou 57 mil metros quadrados de lonas de proteção em 263 pontos da cidade.
Na noite de sábado (16), o alerta de chuvas foi ampliado, por meio de mensagens de texto enviadas para mais de 13 mil pessoas cadastradas em áreas de morro e locais sujeitos a alagamentos. A orientação era para acionar o telefone 0800 081 3400. 
saiba mais
Defesa Civil interdita casas após homem morrer soterrado no Recife
Recife confirma a 1ª morte causada por queda de barreira este ano
Cerca de 750 famílias foram alertadas diretamente para deixar suas residências em caso de persistência das chuvas. Foram distribuídos, também nos últimos três dias, 100 cestas básicas e 102 colchões.
A Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) acionou mais de 100 pessoas para atuar diretamente em serviços de limpeza de canaletas, drenagem e poda de árvores caídas desde a noite de sexta-feira (15). Até o momento, a Emlurb registrou a queda de 29 árvores. Dessas, 20 já foram removidas.
Deslizamento UR7, Grande Recife (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Deslizamento na UR7 deixou prejuízos
(Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
A Prefeitura mobilizou cerca de 1000 profissionais nas ações para diminuir riscos e transtornos, com atuação das secretarias de Governo e Participação Social, Saneamento, Infraestrutura e Serviços Urbanos, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, além da Emlurb, URB, CTTU e Guarda Municipal.
Morte
O deslizamento de terra mais grave atingiu três barracos que funcionavam como depósito de material reciclado, no Córrego do Euclides, Alto José Bonifácio, Zona Norte da capital. José Samuel da Silva, de 33 anos, foi resgatado com vida e levado para a UPA de Nova Descoberta, e João Agostinho da Silva Filho, de 38 anos, faleceu.
O imóvel em que estavam as vítimas sofreu um incêndio há seis meses atrás e já havia orientação da Defesa Civil para não reocupação do imóvel, localizado em área de risco e fragilizado por conta do incêndio. Apenas este ano, as famílias do entorno receberam 315 vistorias de monitoramento da Defesa Civil e quatro ações educativas em escolas da região.
Operação
Desde o dia 16 de março, a prefeitura realiza ações na Operação Inverno 2016. Ao todo, serão investidos R$ 31,2 milhões, segundo a administração municipal. Mais de 6 mil pessoas estão  envolvidas no trabalho.
Deste efetivo, 1.816 agentes públicos atuarão de forma permanente. Outros 4.615 estarão de prontidão 24 horas, podendo ser acionadas em caso de emergência.
A meta da Secretaria Executiva de Defesa Civil do Recife é realizar 44 mil vistorias em áreas consideradas de alto risco. Disponibilizará 380 profissionais nas áreas de vistoria, engenharia, mobilização, apoio, monitoramento e acompanhamento social às famílias.

Sem comentários:

Publicar um comentário