sexta-feira, 15 de abril de 2016

Manifestantes contra impeachment de Dilma acampam no Recife

Manifestantes contra impeachment de Dilma acampam no Recife



Vigília pela Democracia e contra Golpe' é realizada na Praça do Derby.
Integrantes de movimentos como o MST montaram barracas.



 A Praça do Derby, na área central do Recife, recebe o Acampamento Popular em Defesa da Democracia a partir desta sexta-feira (15). Acampados em barracas e toldos, manifestantes contrários ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff fazem uma ‘Vigília Permanente pela Democracia e contra o Golpe’ até domingo (17), quando devem sair em marcha até o Marco Zero, no Bairro do Recife, para acompanhar a votação na Câmara dos Deputados em um telão. [Veja vídeo acima]

De acordo com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), uma das entidades que compõem a Frente Brasil Popular, que realiza essa mobilização, o objetivo é demonstrar apoio à presidente Dilma. “Vamos ficar em vigília permanente para mostrar a sociedade e aos deputados que tem muita gente contra o impeachment em Pernambuco. A mensagem central é esta: não admitiremos o golpe”, enfatiza Paulo Mansan, coordenador do MST-PE em entrevista ao G1.
Participantes do protesto chegaram na sexta-feira (15) à Praça do Derby (Foto: Marlon Costa Lisboa/Pernambuco Press)
Participantes do protesto chegaram na sexta (15)
ao Derby (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)
Durante o acampamento, serão realizados debates e oficinas sobre saúde, educação, cultura, juventude, mulheres e campo/cidade, entre outros temas. Na noite da sexta-feira, a partir das 20h, os manifestantes realizam um ato cultural, com apresentações de artistas e bandas locais de samba e reggae. “Para esse ato cultural, esperamos um público de 20 mil. Além disso, deveremos reunir cerca de 2 mil pessoas acampadas neste fim de semana. E, ao longo do sábado, nossas atividades devem atrair cerca de 4 mil participantes”, estima Paulo Mansan.

Além do MST, a Frente Brasil Popular reúne entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Central Única de Trabalhadores (CUT), a Comissão Pastoral da Terra, o Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e partidos como PT e PCdoB.

Protesto nas rodovias
A luta em defesa da democracia e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff também motivou integrantes do MST a protestarem em sete trechos de rodovias em Pernambuco na manhã desta sexta-feira. No estado, de acordo com levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF), as manifestações foram realizadas na BR-101 Norte, em Goiana (Mata Norte), perto da divisa com a Paraíba, no Km 367 da BR-316, em Petrolândia (Sertão), na BR-408, em Paudalho (Mata Norte), e na BR-423, em Águas Belas (Agreste).
saiba mais
Integrantes do MST fecham rodovias federais em Pernambuco
O protesto também resultou no bloqueio em três trechos da BR-232: Km 29, em Moreno, (Grande Recife), Km 261, em Arcoverde (Sertão) e em São Caetano (Agreste). Ainda segundo a corporação, as manifestações começaram por volta das 8h30. Os manifestantes queimaram pneus, interditando os dois sentidos dos trechos das rodovias.

Ainda de acordo com a corporação, o protesto teve início por volta das 8h30. Os manifestantes queimam pneus, interditando os dois sentidos dos trechos das rodovias. Por volta das 12h30, as estradas foram liberadas, segundo a PRF.

Sem comentários:

Publicar um comentário