segunda-feira, 9 de maio de 2016

Em 21 horas, Recife registra chuva esperada para quase 15 dias

texto da rede globo nordeste
O Recife registrou, das 18h do domingo (8) às 15h desta segunda (9) 157mm de chuva. Ou seja: em 21 horas, o acumulado é equivalente ao esperado para quase 15 dias. De acordo com a Defesa Civil, a média história do mês de maio inteiro na cidade é 328mm.
A forte precipitação em toda a Região Metropolitana do Recife está causando transtornos à população. Pontos de alagamento foram registrados em diversos locais e, devido às dificuldades de locomoção de motoristas e pedestres, algumas instituições de ensino e órgãos cancelaram as aulas nesta segunda-feira (9) na capital pernambucana.
A Secretaria Executiva de Defesa Civil do Recife publicou uma nota, no fim da manhã desta segunda-feira (9), recomendando a saída imediata de moradores de áreas de morro, onde há maior risco de deslizamento de terra
Na BR-101, em Ponte dos Carvalhos, carros tiveram dificuldades para transitar na via (Foto: Danilo César/TV Globo)Na BR-101, em Ponte dos Carvalhos, no Cabo, carros tiveram dificuldades para transitar na via devido ao grande acúmulo de água em alguns trechos (Foto: Danilo César/TV Globo)
De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), as seguintes vias apresentam pontos de alagamentos: Avenida Engenheiro José Estelita (no sentido Boa Viagem), Largo do Cabanga, Avenida Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira; Avenida Norte, próximo à Rua 48; e Avenida Cruz Cabugá, próximo à Rua Frei Cassemiro.
O WhatsApp da Globo Nordeste (98181-2222) também recebeu imagens de outros locais alagados no Grande Recife. As fotos registram pontos alagados no Recife, no Cabo de Santo Agostinho e em Paulista. Na capital pernambucana, há pontos críticos na Avenida Caxangá, na Zona Oeste da cidade, na Avenida Norte, nas proximidades da Rua 48, no Espinheiro, e na Rua Sebastião Alves, no Parnamirim.
Ainda na Zona Norte, internautas também enviaram pontos críticos nos bairros de Cajueiro e Casa Forte, mais precisamente na Praça do bairro. “Está alagado desde 8h, mas agora à tarde está piorando”, afirmou uma mulher que não quis ser identificada.
No centro da cidade, a situação é semelhante. Devido aos alagamentos, a estudante de Direito Juliana Pereira levou 25 minutos para fazer um percurso que ela leva normalmente menos da metade desse tempo. Entre as ruas percorridas por Juliana está a Gonçalves Maia, na Boa Vista.
No Cabo de Santo Agostinho, Avenida Nossa Senhora do Bom Conselho tem trechos alagados (Foto: Danilo César/TV Globo)No Cabo de Santo Agostinho, Avenida Nossa Senhora do Bom Conselho tem trechos alagados
(Foto: Danilo César/TV Globo)
Segundo a estudante, o transtorno tem sido grande para pedestres e motoristas. “Saio a pé da Rua do Príncipe para a minha faculdade, na Rua Dom Bosco, e normalmente levo de cinco a dez minutos. Hoje tive que fazer um percurso maior para evitar os trechos alagados”, reclama.
Ainda na Boa Vista, a técnica de enfermagem Gilzana Paula também se impressionou com o alagamento em frente ao hospital em que trabalha, na Rua do Progresso. “Quando cheguei no plantão, às 7h da manhã, a frente do hospital não estava desse jeito. Às 13h, quando desci para almoçar, não acreditei no que vi. Aqui é sempre um ponto crítico, mas sempre surpreende”, conta.
Na Boa Vista, no Centro do Recife, água da chuva se acumula na Rua Gonçalves Maia (Foto: Reprodução/WhatsApp)Na Boa Vista, no Centro do Recife, água da chuva
se acumula na Rua Gonçalves Maia
(Foto: Reprodução/WhatsApp)
Na Zona Sul, a aposentada Socorro Lucena também se queixou dos trechos alagados por onde passou. Segundo a telespectadora, há alagamentos no início da Avenida Barão de Souza Leão, na Avenida Domingos Ferreira e na Rua Professor Augusto Lins e Silva. “Fiz um trajeto curto de carro, mas vi pontos alagados nesses três locais. Sempre que chove acontece isso”, critica.
No Cabo de Santo Agostinho, a coordenadoria de Defesa Civil do município não registrou ocorrências de queda de árvores, acidentes ou deslizamentos de barreiras. Até agora, foram registrados apenas pontos de alagamentos em diferentes pontos da cidade, como Ponte dos Carvalhos, Distrito Destilaria e em trechos da BR-101.
Em Paulista, a Defesa Civil do Município registrou um volume de 60mm de chuva nas últimas 12 horas, mas todas as ocorrências registradas dentro desse período foram consideradas rotineiras. Os funcionários do órgão estarão de prontidão para atender às solicitações dos moradores através dos números 98788-7822 e 97119-6123. O G1 tentou entrar em contato com a Defesa Civil de Olinda, mas não obteve retorno.
Segundo telespectadora, Praça de Casa Forte está alagada desde cedo (Foto: Reprodução/WhatsApp)Segundo telespectadora, Praça de Casa Forte está alagada desde cedo (Foto: Reprodução/WhatsApp)
Na Encruzilhada, água cobre placa de carro estacionado na Rua Nossa Senhora da Pompeia (Foto: Camila Torres/TV Globo)Na Encruzilhada, água cobre placa de carro estacionado na Rua Nossa Senhora da Pompeia
(Foto: Camila Torres/TV Globo)
No bairro de Casa Caiada, em Olinda, também há ruas alagadas (Foto: Rose Maria/TV Globo)No bairro de Casa Caiada, em Olinda, também há ruas alagadas (Foto: Rose Maria/TV Globo)

Sem comentários:

Publicar um comentário