domingo, 1 de maio de 2016

Obama ironiza Trump em discurso para correspondentes da Casa Branca Em tom descontraído, Obama afirmou que Hillary será sua sucessora. O atual presidente também falou sobre sua "aposentadoria" do cargo.

Obama ironiza Trump em discurso para correspondentes da Casa Branca
Em tom descontraído, Obama afirmou que Hillary será sua sucessora.
O atual presidente também falou sobre sua "aposentadoria" do cargo.






O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, brincou neste sábado sobre sua vida fora da Casa Branca como "comandante do sofá", e previu que Hillary Clinton será sua sucessora, aproveitando para criticar a inexperiência internacional e o mau humor nas redes sociais de Donald Trump.
saiba mais
Filme sobre Obama e Michelle ganha 1º trailer
"No próximo ano outra pessoa estará neste lugar, e é difícil saber quem será ela", afirmou Obama em seu último discurso no tradicional jantar de correspondentes da Casa Branca, carregado de ironia, em referência à favorita para a candidatura democrata, Hillary Clinton.
"E eu", acrescentou, "passarei de comandante em chefe a comandante do sofá".
Cerca de 3.000 convidados se reuniram no grande salão do Hotel Hilton para homenagear a Associação de Correspondentes da Casa Branca, em um evento que pretende aproximar os  jornalistas que cobrem o presidente e os funcionários da Administração dos EUA.
Como era de se esperar, Obama não pôde evitar falar do controverso empresário nova-iorquino Donald Trump, atual favorito à candidatura presidencial republicana, e que se tornou a sensação da campanha eleitoral.
"Não quero gastar tempo demais com Donald. Seguindo seu exemplo, quero mostrar um pouco de contenção", disse, em uma ironia para a imprensa americana sobre a ampla cobertura midiática dada a Trump.
Obama também se referiu às críticas ao favorito pré-candidato republicano e sua falta de experiência em política internacional.
"Passou anos se reunindo com líderes de todo o mundo: Miss Suécia, Miss Argentina", disse Obama, sobre o concurso Miss Universo administrado por Trump.
Entre os presentes, estava a elite política e da mídia americana. Também estavam o senador Bernie Sanders, pré-candidato presidencial democrata e rival de Hillary, e o jornalista do Washington Post Jason Rezaian, recentemente libertado após passar mais de um ano na prisão no Irã.

Sem comentários:

Publicar um comentário