terça-feira, 10 de maio de 2016

SUPOSTO ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇA DENTRO DE ESCOLA PÚBLICA DE SÃO DOMINGOS ESTÁ SENDO APURADO

O suposto abuso sexual aconteceu na sexta-feira (29 de abril), mas o caso só tornou-se público na última sexta-feira (06), depois que o Blog São Domingos Pode Mais divulgou uma matéria sobre o assunto.
 Durante a tarde desta segunda-feira (09) a reportagem do Agreste Notícia procurou a mãe da suposta vítima e também a direção da Escola Municipal Santa Maria, onde teria ocorrido o suposto abuso. Procuramos também o Conselho Tutelar de São Domingos que falou sobre o caso.


 A mãe da criança que não terá o nome revelado afirmou que, deixou as filhas na escola e quando retornou para busca-las, a de 7 anos de idade, alegou que um adolescente de 14 anos de idade teria tirado suas vestes intimas (calcinha).
 “Quando abriu o portão ela correu e me abraçou chorando, ela disse ‘mainha um moleque tirou minha roupinha, minha calcinha e me deixou nua, eu corri para o bainheiro chorando e gritando por minha professora que deu um empurrão nas minhas costas e me mandou ir para a sala’. Minha filha de 8 anos foi defender a irmãzinha de 7 anos e ele cortou o olho dela”, narrou emocionada.
 A denunciante ainda disse que sua filha está traumatizada em ir para a escola, pois segundo ela, a garotinha sempre fazia questão de ir estudar, mas depois do acontecido sente medo em ir para a unidade educacional.
 “Ela agarra no meu pescoço e diz ‘mainha, eu não vou para escola não, pois os coleguinhas vão mexer comigo’, todos os dias quando eu a levo na escola, ela diz que vão tirar a calcinha dela de novo”, enfatizou.
Ouça a entrevista: OUVIR ENTREVISTA

Posteriormente entrevistamos o diretor da Escola Santa Maria, Josinaldo Ferreira, que afirmou que, o envolvido não tem 14 anos de idade e sim 11, tratando-se não de um adolescente, mas sim de uma criança.

 Ainda na oportunidade, o Diretor disse que no momento em que foi informado sobre o suposto abuso, chamou alguns colegas da menina e a própria criança acusada, que negaram tal fato.
 “Chamamos as partes para conversar e também o Conselho Tutelar que tem a atribuição de averiguar os fatos. Não foi constatado até o momento nada do que a mãe relatou nas entrevistas”, explicou completando: “Chamamos a professora e o coordenador de disciplina, além do porteiro, na segunda-feira, conversamos sobre o que havia acontecido e todos informaram que não viram nada disso que foi relatado pela mãe, apenas eles estavam brincando, correndo como qualquer criança e ele segurou na roupa dela, no macacão e puxou, como era um macacão de saia acabou subindo e mostrando as vestimenta intima da menina, mas isso, eles estavam brincando e continuaram a brincadeira”, afirmou.
 Josinaldo ainda afirmou que em nenhum momento a calcinha da criança foi retirada e que apenas como o macacão era de saia, quando o menino puxou, acabou mostrando a vestimenta, mas nada além.
 Ferreira disse também que a menina continuou com um comportamento normal dentro da sala de aula e somente durante a tarde, a mãe da criança chegou alterada com a denúncia sobre o suposto abuso sexual e querendo agredir a outra criança, mas foi impedida e acalmada.
 O Diretor da escola aproveitou a oportunidade para criticar alguns membros da imprensa que divulgaram o fato sem ouvir as duas partes, sujando o nome da instituição, sem nem sequer ter procurado a direção para saber o que tinha ocorrido.
 “Nós temos três adultos no período de recreio, eles ficam acompanhando as brincadeiras das crianças justamente para evitar que elas corram e empurrem umas as outras, mesmo sendo intervalo em dois momentos, primeiro as crianças maiores e depois a menores...”, relatou. Josinaldo ainda considerou como uma irresponsabilidade a forma que a matéria foi divulgada no Blog São Domingos Pode Mais, que citou o nome na mãe, que automaticamente identifica a criança e também trás riscos para a criança apontada como tendo praticado o ato, já que alguns pais de outros alunos já começam a ameaçar o garoto. “Não podemos ser injustos com nenhuma das duas crianças, pois se por acaso isso tiver acontecido as providencias serão adotadas, caso não tenha acontecido à mãe deve ser penalizada porque estar colocando em risco a situação de outra criança, como hoje já aconteceu de alguns pais me procurarem dizendo que se os filhos deles brincassem com essa criança, o pegariam lá fora para matar. Isso que esse blog postou foi de total irresponsabilidade e já chamamos inclusive o Conselho Tutelar para tirar o aluno da escola e preservar a integridade dele”. Ouça a entrevista:



O Blog ainda conversou com o conselheiro José Alan que afirmou quê o Conselho Tutelar está apurando o caso e já intimou ambas as partes, bem como, algumas testemunhas.
 “Os primeiros procedimentos adotados pelo Conselho foi à notificação dos responsáveis, tantos dos acusados como da suposta vítima. A menina será ouvida por uma psicóloga, até porque a psicóloga tem técnicas para colher as informações com mais fluidez e depois esse relatório será reenviado pelo Conselho ao Ministério Público para que sejam tomadas as providências”, explicou.
 No final da entrevista, o Conselheiro ainda criticou a divulgação do caso de forma irresponsável, sem ouvir todas as partes envolvidas no caso, manchando assim o nome da escola e expondo a criança.
 “Colocaram até o nome da mãe da criança que supostamente teria sofrido, e não fica difícil identificar quem é a menina, pois já disseram o nome da mãe e como fica a imagem dessa criança”, criticou.
Ouça a entrevista: