sábado, 4 de junho de 2016

Com procura menor, lojas investem em combos para Dia dos Namorados 12 06 2016

Com procura menor, lojas investem em combos para Dia dos Namorados
Falta de dinheiro e endividamento comprometem compras, diz pesquisa.
Para driblar pessimismo, lojistas investem em dois itens por um único valor.


Diante das estatísticas nada animadoras de desemprego e inflação, 2016 tem se consolidado como o ano das “lembrancinhas” até mesmo em datas especiais. No Dia dos Namorados, a situação não será diferente, pelo que demonstram os números da pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomércio-PE). De acordo com o levantamento, apenas 42,4% dos entrevistados pretendem comemorar a data, ou seja, 3,7% a menos do que no ano anterior.

A falta de dinheiro, o desemprego e o endividamento são os principais motivos enumerados por quem pretende deixar de comemorar o dia. Segundo o economista Rafael Ramos, quem pretende celebrar terá cautela na hora de escolher o presente ou o restaurante. “Com a inflação corroendo o poder de compra, a renda das pessoas está mais direcionada à habitação e ao transporte. Essa ainda é uma data de muita tradição e será comemorada, mas de forma reduzida.”, explica.

De acordo com o levantamento, 54,3% dos consumidores prefere as lojas de shoppings para efetuar a compra. Roupas e acessórios estão em primeiro lugar entre as intenções de presentes, seguidas de perfumes ou cosméticos e calçados. “O consumidor irá comprar quando perceber que o preço está realmente abaixo da média. A estratégia de desconto deve ser a mais efetiva”, comenta Ramos.


Além da baixa nos preços, o combo de produtos do mesmo é outra estratégia usada por quem espera rotatividade no estoque. “Percebemos que o cliente deixou a compra por impulso de lado e, por isso, estamos investindo em combos de pares de calçado por um preço fixo”, explica a gerente de marketing de uma loja de sapatos, Eliana Müller.

Para ela, os clientes têm recebido bem a proposta, apesar da difícil conjuntura econômica. “O comprador perdeu o apego às marcas e está circulando mais, vendo mais lojas e assim que percebe uma boa oportunidade de preço, ele faz a compra”, observa a gerente.

Ainda segundo o levantamento, 33,8% dos que pretendem celebrar a data optaram pela ida a um restaurante, com ticket médio de R$ 174,00. Nesses estabelecimentos, a ideia dos combos também é aproveitada, mas adaptada à realidade do segmento. Além de criar um menu específico, os empresários do setor não descartam o abatimento dos valores e adotam, inclusive, descontos para aumentar o número de reservas.

“Optamos por criar um cardápio fechado para quem vai comemorar o Dia dos Namorados, inclusive com um valor menor em relação ao ano passado. Acredito que isso atrai mais os clientes, já que eles podem pedir entrada, prato principal e sobremesa por um valor único”, comenta a empresária Fátima Assunção.
Sem expectativa para temporários
Apesar de ser considerada a quinta data mais importante para o comércio, perdendo para o Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia das Crianças, a data reservada especialmente para os enamorados costuma trazer otimismo para quem procura um emprego, já que há uma tradição de contratar temporários para aproveitar o reforço de profissionais para as festas juninas. Essa prática, no entanto, será escassa em 2016, já que 91,6% dos empresários não irão contratar mão de obra.


Sem comentários:

Publicar um comentário