ARQUITETURA DO TEMPO DO CAFÉ

 AS GRANDES FAZENDAS DE CAFÉ e GADO NAS DÉCADAS DE 30, 40, 50 E 60 E AS MAIORES PROPRIEDADES DE TERRA DO MACHADOS DE ANTIGAMENTE.

Faz Siqueira de Antonio de Souza Gaião (Nô Gaião ou Nô de Siqueira)
Faz São Paulo de Gualter Ribeiro do Val
Faz Cordeiro de Antônio Emídio e filhos
Faz Santa Cruz de Hilário Oliveira onde existiu a torrefação Santa Cruz.
Faz Taquari de Severino Vieira Filho
Faz Santa Tereza de Major joão Marques Oliveira
Faz do Sobrado de São João do Paraíso em Machadinhos, Tertuliano Leal de Andrade o Capitão Yoyozinho
Faz Inveja de Francisco Lucena Barbosa o Majjor Tito
Faz Maravilha, Major Antonio cunhado de Hilário Oliveira
Faz de Doutor Otávio correia próximo a sede do engenho inveja
Faz Chã de Vela que atualmente pertence aos herdeiros de Zezinho Custódio
Faz Bom Futuro de Senhor Marques próximo aos Tavares
Faz Lajes de Sílvio Marques onde hoje se encontra o complexo Frango Dourado
Faz do Sítio Vitória de Aprígio Albuquerque Queiroz.
Faz Laranjeiras Seca dos Herdeiros do Sr Manuel Pedro de Aguiar.
Faz Olho D'agua Seco José Epaminondas.
Faz Califórnia dos Herdeiros do Senhor Edson Alvares

Essas eram as principais grandes e médias propriedades e café e Gado de Machados após o ciclo da Cana mantido pelos grandes Engenho de antigamente no território de Machados.


Em 1894, Bom Jardim já era o quinto produtor de café de Pernambuco. A região cafeeira era está de Machados e Orobó, que possuía características edafo-climaticas favoráveis ao estabelecimento dessa cultura em nosso fértil solo. Por isso muitos de nossos Engenhos era de atividade mista: cana e café. 
O binômio cana-de-açucar e café, atividades agrícolas do passado, onde o último teve peso bem significativo no desempenho da economia de Machados, e por muito tempo sustentou nosso distrito é o distrito sede. 

Somente na década de 30 que houve intervenção do governo para melhorar a produtividade, rendimento e venda do café em nossa região. A partir da quarta década do século, gradativamente, motivado por circunstâncias mais gerais que locais, houve afrouxamento dos interesses por essas culturas até chegar-se à sua completa extinção.

A cultura do citrus via Laranja Bahia também foi desenvolvida em nosso município por um tempo. Mas uma gomose dizimou a produção. 

Com o fim do ciclo do café se iniciou a introdução da monocultura da banana em Machados.



Comentários