Estudantes de Caruaru vão ao Chile desenvolver projeto de Robótica

Estudantes de Caruaru vão ao Chile desenvolver projeto de Robótica



Estudantes vão desenvolver ainda uma atividade prática com a criação de um drone quadricóptero para pulverização de plantações.






Estudantes do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, vão realizar um intercâmbio no Chile durante seis meses. O período será entre 31 de julho ao dia 18 de dezembro.
Os alunos Asafe dos Santos, Élton Franklin e Daniel Queiroz – do curso de Engenharia Mecânica – desenvolverão atividades na Universidad Tecnologica de Chile (Inacap). A proposta é que eles estudem matérias de Automação e Controle Industrial que não estão no cronograma do campus em Caruaru.
Os estudantes vão desenvolver ainda uma atividade prática com a criação de um drone quadricóptero para pulverização de plantações. O intercâmbio faz parte do Programa Internacional Despertando Vocações, que auxilia os futuros profissionais sobre as carreiras profissionais e incentivá-los ao empreendedorismo, e tem convênios com mais de 20 instituições de ensino superior, a maioria delas da América Latina.
Os integrantes deixam claro que a ideia do grupo, ao retornar do Chile, é de partilhar os conhecimentos adquiridos naquele país com os demais estudantes de Caruaru e região, por meio de palestras e oficinas. “Temos consciência de que nosso papel é contribuir para com o desenvolvimento de nossa cidade, por meio da educação e das experiências vivenciadas”, explana Daniel.
O professor orientador do grupo no IFPE, Alexander Sena, diz que, diferentemente de outros projetos intercambistas, neste Programa o aluno tem de apresentar um resultado palpável dos conhecimentos adquiridos por intermédio da viagem.
“Eles terão de desenvolver de fato um projeto e trazer algo, para que a gente possa validar a experiência que eles tiverem fora do país. O produto que eles vão trazer, na experiência, é um drone que seja capaz de pulverizar produtos químicos em plantações, ou seja, uma aplicação na área agropecuária para pequenas e médias propriedades", disse.
De acordo com o professor, esse tipo de equipamento já existe, mas foi desenvolvido para grandes plantações e custa R$ 40 mil. "O que eles deverão desenvolver é para plantações menores e deverá ser de baixo custo”, diz.

Atualmente estudantes do curso superior de Engenharia Mecânica no IFPE, Asafe, Élton e Daniel já foram alunos do curso técnico de Mecatrônica na mesma instituição. Assim sendo, desde 2013 eles formam a equipe ‘Protheus’, que tem como objetivo desenvolver projetos e pesquisa na área de Robótica, além de ministrar oficinas e disseminar o conhecimento científico pela região.
Entre os projetos já executados pelos estudantes, está a criação de protótipos como um robô-guia para deficientes visuais e um robô paralelo (com finalidade industrial). No ano passado, a equipe conquistou a medalha de bronze na etapa regional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR).
CARUARU

Comentários