Artista plástico Corbiniano Lins morre aos 94 anos, no Recife

Artista plástico Corbiniano Lins morre aos 94 anos, no Recife


O Artista plástico Corbiniano Lins morre aos 94 anos, no Recife
Ele estava internado no hospital por causa de várias complicações e será enterrado neste domingo (11), na Zona Oeste da capital.



arista plástico Corbiniano Lins morreu na noite de sábado (10), no Hospital Albert Sabin, na Ilha do Leite, na área central do Recife. Ele tinha 94 anos e estava internado por causa de uma série de problemas de saúde. Nascido em Olinda, na Região Metropolitana, o desenhista, pintor e escultor teve obras expostas em vários países da América Latina, Europa e Oriente Médio.

Segundo familiares do artista, Corbiniano sofreu um infarto na sexta-feira (9). Ele também apresentava um quadro de inflamação em alguns órgãos.

O velório teve início na manhã deste domingo (12), no cemitério Parque das Flores, na Zona Oeste da capital. O enterro está marcado para as 16h.

Para o filho de Corbiano Lins, Sandro Corbiniano, o artista deixa um legado importante, pois teve uma carreira plural e contemporânea. Trabalhou com vários tipos de materiais, como tapeçaria, vidro e cobre.

"Ele é um dos artistas que mais tem trabalhos no Recife. Fez parte de uma geração que conseguiu a criação de uma lei que obriga a instalação de obras de arte em prédios na cidade", observou.

História
José Corbiniano Lins nasceu em 2 de março de 1924. De acordo com a biografia postada no site da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), ele despertou para as artes ainda criança. Aos 8 anos, costumava copiar desenhos, quadros e gravuras.




O artista estudou na escola de Aprendizes Artífices de Pernambuco, que depois se tornou escola técnica (Cefet) e hoje é o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE).

Em 1948, ajudou a fundar a Sociedade de Arte Moderna do Recife (SMAR), com artistas como Abelardo da Hora, Samico e Reynaldo Fonseca. No ano seguinte, Corbiniano participou do salão oficial do Museu do Estado de Pernambuco.

Desde o início da década de 60 do século passado, o artista trabalhava com isopor, metal e alumínio para fazer as esculturas. Ele costumava usar uma faca comum para confeccionar as obras.

Pesar
O governador Paulo Câmara (PSB) divulgou uma nota de pesar pelo falecimento do artista plástico Corbiniano Lins. Também prestou solidariedade aos familiares, amigos a admiradores.

Segundo o texto enviado pela assessoria do governo do estado, “Pernambuco e o Brasil perdem um dos seus maiores escultores. Ao longo de sete décadas, primeiro como pintor e depois na escultura, Corbiniano nos encantou com sua arte sensual e apaixonada. Enquanto foi possível, ele não abriu mão da sua vocação."

OLINDA
 
RECIFE

Comentários