greve geral contra a Previdência




Centrais sindicais fazem greve geral contra a Previdência



Além da paralisação, a data deve ser marcada por atos em todo o país. Segundo a CUT,
haverá atos em mais de 300 cidades e 26
 estados durante o dia

As principais centrais sindicais convocaram para esta sexta-feira (14) uma greve geral
 em todo o País contra a reforma da Previdência. A paralisação irá durar 24 horas e se
iniciou à 0h de hoje. Além da paralisação, a data deve ser marcada por atos em todo o
país. Estados como Alagoas, Rio Grande do Norte, Paraíba, São Paulo e Rio de Janeiro já
têm protestos confirmados. Segundo a CUT, haverá atos em mais de 300 cidades e 26 estados

 durante o dia. Confira abaixo o mapa dos protestos
 pelo Brasil:



A paralisação é organizada por centrais como CUT, CTB, Força Sindical, CGTB, CSB, UGT,
Nova Central, CSP- Conlutas e Intersindical.
 De acordo com a CUT, a greve ganhou a adesão de bancários, professores, metalúrgicos,
 químicos, portuários, trabalhadores rurais, agricultores familiares, metroviários,
 motoristas, cobradores, caminhoneiros, trabalhadores da Educação, da saúde, de água e
esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, eletricitários, urbanitários, petroleiros,
enfermeiros, vigilantes, servidores públicos federais, estaduais e municipais, entre
outras categorias.

Em março deste ano, as centrais sindicais já haviam organizado uma paralisação, como
“ensaio” para o movimento de hoje.



Comentários